Sair do ninho é necessário

Foto: We Heart It

large1

Sair do ninho nunca é fácil para algumas pessoas. Mudanças podem causar um misto de ansiedade e desconforto com uma grande dose de saudades. Ninho não é necessariamente nossa casa, é qualquer lugar que nos deixa em paz: um grupo de amigos, um abraço confortável, um lugar corriqueiro.

É muito importante sair do ninho, experimentar e ver coisas novas. Mas sozinha tudo parece mais desafiador. Tudo fica maior: pressão, responsabilidade, cobrança. Você se pega desejando nunca ter desejado sair do ninho…

Mas você sabe que precisa conhecer o que existe lá fora, aquilo que está esperando por você. Você sonha com o dia em que poderá ver aquilo que só conhece ouvindo todos os outros falarem.

Todo novo começo tem um começo tumultuado, senão não seria uma mudança. Cabe a você aguentar firme e seguir em frente. Mas… Se você não conseguir, não se sinta mal. Provavelmente aquela mudança não era a certa para você. Novas mudanças estão por vir.

Algo interessante e animador estará esperando por você. Mas, raramente, ela virá até você, cabe a você ir atrás e encontra-la! E, no meio dessa procura, pode encontrar coisas desanimadoras e outras que te animem que você nunca imaginou que poderiam.

Acreditem, coisas incríveis podem acontecer nessa caminhada constante em busca do que realmente nos faz feliz. O primeiro passo para descobrir é sair do ninho.

Beijos,

assinatura

Como fazer Trança de Chocolate

capa

A receita de hoje é maravilhosa de tão gostosa. Um doce folhado de chocolate trançado que serve para qualquer hora do dia e é a sobremesa perfeita para aquele compromisso de última hora. Vamos aprender?!

ingredientes

  • Massa folhada
  • Barra de chocolate (da sua preferência)

Modo de Preparo

01. Cubra a superfície que você usará com açúcar – assim a massa folhada não grudara – e coloque  o pedaço da massa que você vai usar (eu comprei na versão de rolo com 1kg, então medi a largura da barra de chocolate e multipliquei por três).

01

02. Coloque a barra de chocolate no meio da massa e faça cortes na massa no sentido diagonal (como referencia usei os quadradinhos do chocolate). Faça cortes retos na base e em cima.  Retire o excesso de massa na base e em cima.

02

03. Dobre a parte da base da massa e comece a trançar, lembrando de intercalar os lado. Antes de tranças as duas ultimas tiras, dobre a parte reta de cima e aí termine de trançar. (caso você ache necessário, preencha os espaços que ficaram vazios com o que sobrou da massa, assim não tem perigo do recheio vazar).

03

04. Pincele gema de ovo na massa – para ficar douradinho – e leve ao forno pré-aquecido entre 180ºC e 200ºC. O tempo de preparo vai depender do seu forno e a temperatura, mas leva cerca de 15 a 25 minutos. O importante é desligar o forno quando a massa estiver dourada.

04

Assim fica o nosso doce. Super fácil de fazer, né?! E enquanto assa ele deixa um cheiro maravilhoso na cozinha. O bom é que ele pode ser feito com diversos recheios. Vou trazer várias variações para o blog!

pronto

Espero que tenham gostado da receita!

Beijos,

assinatura

Sobre Livros: Resenha “Maldosas”

A resenha de hoje é de um livro que é a matéria prima que serviu de inspiração para a tão famosa série Pretty Little Liars. Se você ainda não assistiu, já deve ter ouvido falar nesse nome (que é quase um trava línguas). Apesar de levar o mesmo nome, alguns personagens e alguns acontecimentos, as semelhanças param por aí.

20160502_173831

Maldosas (com título original Pretty Little Liars), o primeiro livro da série escrita por Sara Shepard, nos apresenta as cinco amigas inseparáveis de Rosewood (cidade fictícia localizada no estado da Filadélfia, EUA): Aria Montgomery, Hanna Marin, Spencer Hastings, Emily Fields e Alison DiLaurentis. As amigas são populares na cidade por causa de Alison, a abelha rainha do grupo. Cada uma possui uma personalidade única: Alison, a manipuladora; Aria, a diferente; Emily, a nadadora; Spencer, a inteligente e Hanna, a insegura.

No último dia das férias de verão, antes de começarem a 8ª série, as meninas resolveram fazer uma festa do pijama no celeiro de Spencer. Durante a festa, depois das meninas caírem no sono, elas percebem que Alison havia desparecido e nenhuma conseguia lembrar o que tinha acontecido.

Três anos se passam e Alison continuava desparecida e, sem a líder do grupo, as outras quatro amigas haviam parado de se falar e seguido com suas próprias vidas. Aria voltou para a cidade depois de passar um tempo morando com a família na Islândia e sente-se atraída por um homem mais velho, Ezra. Emily conhece Maya, a nova moradora da cidade e começa a ter sentimentos diferentes por ela. Hanna perde alguns quilos e torna-se a garota mais popular da escola junto com a sua nova melhor amiga, Mona. Spencer continua tendo problemas com a sua irmã mais velha, Melissa, e encontra-se atraída pelo noivo dela, Wren.

Apesar de estarem separadas, um motivo faz com que tornem-se cumplices novamente. As garotas começam a receber mensagens com segredos sobre elas que apenas Alison sabia e as mensagens eram assinadas por “-A”. Elas passam a acreditar que as mensagens são de Alison, mas um fato devastador acabam com suas esperanças.

pretty-little-liars2

Como eu disse no começo da resenha, as semelhanças entre os livros e a série existem, mas não são muitos. Em um determinado momento, poucas coisas continuam as mesmas. Eu ainda não li todos os livros (parei no 6º de 16 livros). Li o primeiro antes de assistir a série e me assustei quando o primeiro capítulo terminou no último fato do livro. Os acontecimentos de antes foram acontecendo no decorrer da série.

Nesta primeira parte da história ocorre uma grande apresentação as garotas, suas famílias e mentiras. Penso que o primeiro livro vem com esse propósito: introduzir-nos ao universo de Rosewood. Cada capítulo é focado em uma das garotas, dessa forma conseguimos ter uma perspectiva maior de como ela é e o que ela esconde. Pois em PLL é assim: mentiras atrás de mentiras e mais um pouco de mentiras (haha). Às vezes acho as nossas liars tão ingênuas e que muitas coisas poderiam ser resolvidas de forma bem simples.

Os livros são separados por quatro arcos, com quatro livros em cada. Quero resenhar todos eles pra vocês! Aguardem muito Pretty Little Liars por aqui. (:

Livros Pretty Little Liars

E se você nunca assistiu a série, dá uma olhadinha no trailer. Por ser diferente em algumas partes, é interessante conhecer os dois! A série finalizou há alguns meses a sexta temporada e está nas gravações da sétima – e última – temporada.

Dá pra assistir PLL no netflix até a quarta temporada e todas as outras em sites online.

Título: Maldosas – Pretty Little Liars | Autora: Sara Shepard | Editora: Rocco | Avaliação: ★★★★★ (muito bom)

ONDE ENCONTRAR

Espero que tenham gostado!

Beijos,

assinatura

Playlist #3 – Glee

Não é segredo e não escondo pra ninguém o quanto amo a série Glee, já falei um pouquinho dela num post das minhas 10 séries finalizadas favoritas. A série é basicamente um grupo de coral formado pelos losers da escola enfrentando bullying, preconceito, cantando, amando e tentando encontrar seu lugar no mundo fazendo aquilo que amam. Acompanhei a série fielmente desde a metade da primeira temporada, lá em meados de 2009/2010, até a sexta temporada em sua serie finale em 2015.

hq_024

Um dos motivos pra muita gente amar a série era o fato de ela regravar músicas e incorporá-las em seus episódios. Mas, esse também era um dos motivos pra muita gente odiar. Tudo tem uma via de duas mãos, não é mesmo? Existe algumas versões que eu não gostei nem um pouco e outras que eu amo e escuto sempre! E confesso que foi graças a Glee que conheço muitas músicas antigas e clássicos da Broadway, que eu não conheceria de outra forma.

Uma coisa bem comum na série era o mashup, que nada mais é que a junção de duas músicas diferentes. Na primeira temporada tem um episódio com esse nome e na maioria das vezes fica muuuito bom! Uma música diferente pra ouvir! E quem sabe a junção de duas músicas que você ama. O elenco da série era formado por atores e cantores incríveis e eu sempre vou ama-la.

Por ser uma série basicamente musical, nada mais justo que ter uma playlist só dela! Pode ser que eu faça playlists número 2, 3, 4… Só no Spotify tenho 203 músicas e não é nem ¼ das que existem (haha). Vamos ao meu top 10 de hoje? Aperta o play e divirta-se! (:

01 – Don’t Stop Believing (Original: Journey)

02 – Tongue Tied (Original: Grouplove)

03 – Torn (Original: Natalie Imbruglia)

04 – Don’t Rain On my Parade (Original: Filme Funny Girl [Barbra Streisand])

05 – Americano | Dance Again (Original: Lady Gaga | Jennifer Lopez)

06 – Seasons of Love (Original: Musical RENT)

07 – Rumor Has It | Someone Like You (Original: Adele)

08 – Start Me Up | Livin’ On A Prayer (Original: The Rolling Stones | Bon Jovi)

09 – Dark Side (Original: Kelly Clarkson)

10 – Take On Me (Original: A-ha)

Espero que se divirta com a playlist!

Beijos,

assinatura

Como fazer Pudim 2 Ingredientes + Calda

capa

A receita de hoje é super fácil e leva pouquíssimos ingredientes! Uma versão do tão famoso Pudim de Leite Condensado que leva na massa apenas dois ingredientes mais três da calda. Bem fácil, né?! Vem aprender!

IMG-20160427-WA0017

  • 2 xícaras (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de água
  • 2 colher (chá) de vinagre branco
  • 3 caixas de leite condensado
  • 6 copos de iogurte natural sem sabor

Modo de Preparo

01. Em uma forma de pudim coloque o açúcar, a água, o vinagre branco e misture. Leve ao fogo médio até ferver, ficar com cor de caramelo e em ponto de fio. Retire do fogo e espalhe a calda por toda a forma.  Reserve.

01

02. Coloque em um liquidificador o leite condensado, o iogurte e bata bem até ficar homogêneo. Desligue o liquidificador e coloque a mistura na forma de pudim (reservada acima) e leve para assar em forno alto preaquecido 200°C por cerca de 45 minutos. Após assar, retire do forno e deixe esfriando. Depois, leve a geladeira. Desenforme antes de servir.

02

Assim fica o nosso pudim, levinho e uma delícia! (:

pronto

Espero que tenham gostado!!

Beijos,

assinatura

 

Sobre Livros: Resenha “A Sereia”

Mais uma vez vim trazer uma resenha da autora Kiera Cass, – a mesma da triologia “A Seleção” –  posso dizer que atualmente ela é uma das minhas autoras favoritas. Com uma escrita tranquila e que flui, ela consegue me prender desde a primeira página. A resenha de hoje é do primeiro livro publicado pela autora. The Siren já havia sido lançado e Kiera teve a oportunidade de reescreve-lo e publicar novamente em 2016.

IMG_7136

A Sereia acompanha a vida de Kahlen, uma garota salva de um naufrágio há 80 anos. Quando tinha apenas 16 anos viu sua família morrer após o navio que estavam afundar por causa de sereias. Os mesmos seres que acabaram com sua vida, propuseram uma nova vida para ela. 100 anos de servidão à Água como sereia e em troca, após esse período, poderia viver novamente como humana e sem se lembrar de sua antiga vida.

As sereias possuem uma beleza sobrenatural que atraem todos a sua volta e quando estão com humanos, não podem dizer uma só palavra, suas vozes são mortais e qualquer um que escute ficará enfeitiçado e estará destinado a morte.

Kahlen é a sereia mais fiel que a Água já possuiu, mas guarda em seu coração uma enorme tristeza pelas coisas que precisa fazer e também o seu maior sonho: vivenciar o amor. Ela e suas irmãs tentam viver uma vida normal e em um dia conhece Akinli, um garoto divertido e diferente de tudo aquilo que Kahlen já conheceu. Ele a trata com naturalidade e arrumou um jeito para que pudessem conversar. A sereia percebe que está completamente apaixonada por ele, mas não há nada que possa fazer para que fiquem juntos, uma vez que só viraria humana novamente em 20 anos e quando isso acontecesse, não lembraria mais de Akinli.

IMG_7141

Em um universo completamente diferente de “A Seleção”, Kiera nos leva para o universo das sereias, uma das lendas mais antigas do mundo. Achei diferente o modo como ela criou na Água uma personagem, é difícil imaginar um elemento da natureza tão gigantesco como uma coisa que pensa, sente e cuida de suas sereias em uma relação de mãe e filha. E por sua vez, as sereias possuem entre si uma relação de irmãs, cuidando uma das outras de todas as formas possíveis.

Durante todos os anos de servidão, as sereias precisam usar sua voz para atrair embarcações para que a Água se alimente. Sem essas mortes, ela não teria mais controle de seu poder e devastaria o mundo. Kahlen sente uma dor imensa por matar tantas pessoas inocentes, mas a Água vive lembrando-a que é por um bem maior, se centenas de pessoas morrerem, a vida de outras milhões serão salvas.

Encontramos em A Sereia uma mistura de dois mundos, uma história de amor impossível e uma força maior que todos. Gostei do modo que Kiera conduziu a história, mostrando que as sereias possuem sentimentos, lembranças e sonhos para uma vida diferente. O que mais me prendeu no livro foi a curiosidade em saber como Kahlen e Akinli encontrariam uma maneira de ficarem juntos e viver seu amor, ou se isso não seria possível.

É um livro gostoso de mergulhar e de fácil leitura. Vale a pena se você já gosta das histórias da Kiera e se interessa pelo universo do sereismo – que está super em alta hoje em dia! E pra mim, que adora praia e mar, foi uma deliciosa aventura. É difícil explicar, mas esse tipo de livro que dá vida para coisas inanimadas da nossa rotina me faz ver as coisas com outros olhos, principalmente nas questões ambientais. Talvez um dos objetivos da autora tenha sido esse, abrir nossos olhos para um assunto tão importante que nos esquecemos tão facilmente.

Título: A Sereia | Autora: Kiera Cass | Editora: Seguinte | Avaliação: ★★★★ (excelente)

ONDE ENCONTRAR

Beijos,

assinatura

Sobre Séries: Grey’s Anatomy

É bem difícil encontrar hoje em dia pessoas que nunca ouviram falar na série Grey’s Anatomy. Eu já havia ouvido falar há muito tempo, mas por se tratar de uma série médica, nunca me interessei. Não sou a maior fã de sangue e cadáveres (haha). Mas, como já estava me interessando por séries policiais e ver corpos e gente morrendo já não era o maior dos problemas, resolvi tentar me aventurar na série médica e olha, foi só amor! Como gosto tanto da série, resolvi fazer um post especial falando sobre ela.

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

A série estreou em março de 2005 e ainda segue em transmissão. Criada por Shonda Rhimes, a série é produzida e transmitida pela rede ABC, nos Estados Unidos. Como a série já está na 12º temporada, muitos personagens mudaram e novos entraram, por isso não vou me apegar a nenhuma temporada e não vou dar nenhum spoiler. Acreditem, em Grey’s é o que mais existe. Confere a sinopse da série:

A história se desenrola em torno da vida pessoal e profissional da residente de medicina, Meredith Grey, filha da famosa Dr. Ellis Grey. Durante sua residência num hospital fictício cirúrgico Seattle Grace Hospital, em Seattle, Washington, um dos mais rígidos programas cirúrgicos do país, Meredith passa por diversas dificuldades e alegrias junto com seus colegas também internos: Cristina, Izzie, George e Alex, mostrando suas vidas amorosas e as dificuldades pelas quais passam no árduo trabalho. Ao passar dos anos, novos personagens são introduzidos, enquanto temos que nos despedir de velhos conhecidos. (Fonte: Banco de Séries)

A cada episódio os internos deparam-se com novos pacientes e precisam ajudar seus superiores a solucionar os casos. Suas habilidades são postas a prova e precisam provar, tanto para os residentes e atendentes quanto para si mesmos, que são os melhores médicos para acompanhar a cirurgia. Eles fazem o que for preciso para entrar em uma sala cirúrgica.

Como já havia dito, não sou muito fã dessas coisas de sangue, órgãos, mortes, mas apesar de Grey’s mostrar bastante coisa, muitas delas são sutis e hoje me interesso muito mais por medicina do que antes. Não que eu tenha resolvido seguir a carreira (Imagina?!), mas procuro saber mais sobre o funcionamento do corpo humano e hoje já não tenho tanto arrepio de ver um cadáver para estudo (Só um pouquinho, confesso, mas vai melhorando com o tempo).

cristina Cristina: “Oh, dane-se bonita. Eu sou brilhante. Se você quer me agradar, elogie meu cérebro.” (Fonte: Tumblr)

As coisas na série vão acontecendo de uma maneira que quando nos damos conta já estamos desesperados torcendo pelos personagens, chorando pelos pacientes, e assistindo a série por seis horas (haha). Não tem como assistir só dois episódios, a série realmente vicia.

A outra parte boa dela é que por ter 12 temporadas, você pode assistir tranquilamente sem ter que ficar ansiosa esperando pelo próximo episódio, principalmente naquela hora mais crítica! Mas, já vou avisando, prepara as caixinhas de lenço na hora que for assistir, Grey’s consegue mexer muito com o nosso emocional e por muitas vezes pode ser bem cruel. ): Essa série possui os episódios mais angustiantes que já assisti em um seriado, é realmente envolvente e nos apegamos demais ao que acontece.

tumblr_o5nwfvhM8T1ucrtrzo1_500                                                                                                      “Shonda Rhimes: É um lindo dia para arruinar vidas.” (Fonte: Tumblr)

A série atualmente está indo para a reta final da 12ª temporada, e já foi renovada para uma 13ª. Ela está disponível no Netflix até a 11ª e acredito que assim que a atual finalizar, eles logo vão incluir no catálogo. Claro que você pode sempre assistir online, só dar um Google. Os episódio novos saem toda quinta nos EUA e no Brasil é possível assistir pelo Canal Sony toda segunda às 21h.

Título: Grey’s Anatomy | Criada por: Shonda Rhimes | Gênero: Drama Médico | Distribuidora: ABC (EUA) – Canal Sony (BR) | Avaliação: ★★★★★ | (Excelente | Favorita)

Já assistiram a série?! O que você mais gosta nela?

Beijos,

assinatura